21 Jun 2006

Selva #2

Já não posso parar para ficar.

Chamou-me a voz do silêncio.

Tenho um relógio que ainda bate lentamente
E guarda o tempo com um ruído metálico e frio.

É por me chamar assim
Que não vou correr
Se não quero ficar?
Se não quero partir?
Deixa-te estar aqui,
Mas assim não pares de sorrir.

Porque só amanhã podemos fazer
aquilo que o tempo um dia fez igual.

4 comentários:

carioca de limão said...

very nice :) gosto. keep up the good work!

João said...

"Pelo poder poderás, graças ao discernimento da tua alma, renascer nas
formas mais altas que são divinas." Pico Della Mirandola (1486)

Zofia said...

Adorei o final.

Andreia said...

LINDO!!!! PRESUMO QUE IRÁ HAVER O SELVA#3. ESTOU Á ESPERA