22 Dec 2010

LDN







London in October. I used a 1978 heavy used Olympus Trip 35 with cheap expired film.

30 Nov 2010

22 Nov 2010

20 Nov 2010

14 Oct 2010

Anyone can write lyrics.

4 Oct 2010

27 Sep 2010

24 Sep 2010

21 Sep 2010

The Fridays - Sliced Tomatoes



testing recording skills with a quick cover of the Just Brothers hit Sliced Tomatoes.

gear:

new squier telecaster with digitech rp70
90's squier jazzbass

hardware:

iMac
Roland UA-4FX soundcard

software:

Propellerheads Reason 4
Soulschool drums
Ableton Live 7

16 Sep 2010

>>>>>>>>>>>>>>>> I WANT ONE OF THOSE >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>






mais aqui.

10 Aug 2010

5 Aug 2010

Em bold.

Reencontrei uma amiga minha designer que entretanto se converteu em curvas.

4 Aug 2010

2 Aug 2010

Digital meets Analog



The Olympus EP-1. Sweeeet.

Confodrama

Há dois tipos de pessoas: as que dizem "I quê á" e as que dizem "iqueia".

1 Aug 2010

Modas

T-shirt de alças é o nome menos embaraçoso que os homens conseguiram criar para poderem usar tops à vontade.

27 Jul 2010

Moon Safari is 12 years old.

22 Jul 2010

16 Jul 2010

Somebody at one of these places [...] asked me: "What do you do? How do you write, create?" You don't, I told them. You don't try. That's very important: not to try, either for Cadillacs, creation or immortality. You wait, and if nothing happens, you wait some more. It's like a bug high on the wall. You wait for it to come to you. When it gets close enough you reach out, slap out and kill it. Or if you like its looks you make a pet out of it.

Charles Bukowski, 1963.

14 Jul 2010

12 Jul 2010

18 Jun 2010

Sapateado

Um gajo sair de casa de Crocs ou dizer 'eu desisto' é praticamente a mesma coisa.

17 Jun 2010

8 Jun 2010

3 Jun 2010

1 Jun 2010

31 May 2010

27 May 2010

Indocente

Em Mirandela, a avaliação dos profs é feita a olho nú.

Useless...

Quantas petições online já deram em alguma coisa afinal?

26 May 2010

25 May 2010

11 Jan 2010

Coisas que acontecem em restaurantes e que já fizeram mais sentido.

Não sou gajo de beber vinho desalmadamente às refeições. E devo ser dos poucos portugueses a achar o Mateus Rosé o melhor vinho produzido em terras lusas.

Mas nunca percebi uma coisa. Quando pedimos um garrafa de vinho num restaurante, porque é que o temos de provar em frente ao empregado? É suposto fazermos aquela cara desconfiada de quem está a orientar toda e qualquer célula do cérebro para o paladar se concentrar no sabor de um vinho, que provavelmente até já bebemos mais do que uma vez? E porque é que é sempre o homem a provar, se estiver acompanhado por uma mulher? Feministas, isto já dava assunto suficiente para uma cartinha destinada às escolas de empregados de mesa e afins.

Tenho vontade de entrar num restaurante, pedir um vinho e dizer que não gosto. Que cara vai fazer o empregado? Devo estar no meu direito... - "Pois, sabe, a colheita de 2004 é que era boa, a de 2005 apanhou com muita geada. Não quero".

E porque é que se pedir uma cerveja e uma coca-cola, a cerveja vem logo para mim? Nem perguntam. Feministas, mais uma vez estou-vos a dar pano para mangas.

Já que estou a falar para os senhores da hotelaria, deixo aqui mais um recado: ter o hálito a cheirar a mentol não me dá vontade de deixar uma gorjeta melhor.