26 May 2006

Aulas de música.

Tenho grandes recordações delas, de quando era puto. Nunca tive muita paciência para estudar música, confesso. E arrependo-me agora! Queria ter um piano em casa e poder tocar como ouvia o Maestro Vitorino de Almeida a tocar em casa dele, sempre que ia almoçar às Amoreiras. Era brutal, sempre que passava pela janela dele, ficava sempre a pensar se seria um disco a tocar ou ele próprio.

Hoje lembrei-me de uma história meio parva que o meu professor chegou a contar mais que uma vez. Ora, a música é uma sequência de sons e pausas. Parece que alguém de quem já não me lembro do nome fez o favor de levar a definição à risca. Então, nos seus concertos, teria ocasionalmente uma música composta apenas de silêncios. Sentava-se no piano, contava as pausas, e no final agradecia. Sem ter tocado uma única nota... Não sei se chegava ao cúmulo de ter uma pauta cheia de pausas. Pausas difíceis de contar, para não tornar a coisa demasiado básica, claro.

História mais idiota, estão vocês a pensar. Mas pronto, hoje é dia de Rock in Rio e de Super Bock Super Rock, por isso, viva a música! Não as pausas, mas sim o som!

3 comentários:

Pedro said...

Lembro-me muitas vezes dos bons tempos que passámos no atelier do Zé e na Sociedade... Arrependo-me de não ter aproveitado mais, acho que podiamos ter feito qualquer coisa de jeito... paciência, fica para a próxima.

Abração

Pedro da Vila

JM said...

Pois é!! faziamos tanto barulho...nem sei como nunca tivémos reclamações, mesmo qd ensaiávamos à noite. E o Jacob que perdeu as nossas cassestes? Só tenho uma aqui de um ensaio em q se ouve tu a bateres na porta da sociedade com alta violencia, porque nós já tinhamos chegado.Já tinhamos qq coisa. Chegámos a ter um single, lembras-te? até era gira a música. Era engraçado o modo peculiar que nós tocávamos. E qd tentámos fazer música com um trombone q andava lá perdido? Que risada! Grandes tempos!

Um abraço!

*Belynha* said...

"Viva! Viva la musica!
Viva! Viva la alegria!
No piu bella compañia
Nel grand muondo non si da!"